7 dicas que você precisa saber antes de obter um empréstimo pessoal

Você provavelmente já sentiu que não havia dinheiro no final do mês, certo? Talvez você tenha um sonho que deseja realizar, mas com o valor que pode economizar todos os meses, pode levar muito tempo. Infelizmente, essas situações são muito comuns. Você precisa de dinheiro para pagar contas, reformar uma casa, fazer uma viagem, comprar um carro novo, iniciar um negócio. Nessas situações, as pessoas procuram um empréstimo, mas a pergunta é: que tipo? Possui empréstimo pessoal, folha de pagamento, cartão rotativo de crédito, débito, penhor …

Neste post, decidimos fornecer informações detalhadas sobre seu empréstimo pessoal. Leia e esteja bem informado sobre esse tipo de empréstimo. Você definitivamente aprenderá como esse empréstimo pode ser um aliado no seu caso.

1) Você pode obter um empréstimo pessoal para pagar uma dívida mais cara

Um exemplo de situação em que um empréstimo pessoal é certamente a opção mais benéfica para o seu bolso é substituir uma dívida mais cara por outra mais barata. Por exemplo, se você atrasar o pagamento do extrato do seu cartão de crédito, os juros acumulados no cartão rotativo serão maiores que os juros do empréstimo pessoal.

Dívida é outro tipo de dívida com uma taxa de juros mais alta que o empréstimo pessoal. Portanto, seria interessante contratar um empréstimo pessoal para quitar dívidas ou cheque especial no cartão de crédito. Os juros desses dois métodos excedem 10%, enquanto as taxas de crédito individuais variam de 5 a 7%. Isso significa que você terá que lidar com taxas de juros mais baixas. É uma estratégia que certamente compensa e economiza dinheiro.

2) Cuidado com a consolidação da dívida

Outro caso em que o empréstimo pessoal é usado e indicado é a consolidação da dívida ou a unificação da dívida. Essa dica é útil para pessoas que estão endividadas em lugares diferentes ao mesmo tempo. Ficar na conta corrente, contas vencidas de cartões, impostos atrasados, condomínio … Isso é muito comum! Afinal, ele se perde entre vários credores, taxas de juros e condições de pagamento. Portanto, uma estratégia é usar um empréstimo pessoal para quitar toda a sua dívida e depois lidar com uma dívida em um só lugar.

No entanto, essa consolidação deve ser usada com cautela. Às vezes é possível escolher uma dívida com um custo menor do que um empréstimo pessoal. Nesses casos, talvez não exista maior praticidade, considerando custos mais altos. Por exemplo, nos casos que envolvam uma operação com cheque especial ou cartão de crédito, a operação provavelmente vale a pena.

3) Estude com cuidado o valor necessário antes de solicitar um empréstimo

Isso pode parecer óbvio, mas muitas pessoas estão erradas. Você não precisa fazer um empréstimo pessoal com o valor total para quitar sua dívida. Deve haver uma organização financeira antes de receber o empréstimo. Se você reduzir uma parte de suas despesas durante o mês, poderá cobrir uma parte significativa de sua dívida com seu próprio dinheiro. Isso reduz o valor que você precisa emprestar, reduz as parcelas futuras e os juros caem. Empréstimos pessoais, empréstimos, planejamento financeiro, dívidas

Muitas pessoas ainda têm um lugar para obter dinheiro, mas preferem fazer um empréstimo no valor total que precisam. Isso significa que compensa (juros sobre o empréstimo) usar seu próprio dinheiro para despesas muitas vezes desnecessárias. A conseqüência de obter mais crédito do que você normalmente precisa são as parcelas maiores que seu bolso pode pagar. Coloque todos os benefícios no papel e saiba que eles nunca devem colocar seu orçamento em risco.

4) Escolha o melhor lugar para obter um empréstimo pessoal.

Muitas pessoas costumam comparar as taxas de juros de diferentes credores para fazer uma escolha. No entanto, isso não está correto porque as taxas de juros não são os únicos custos associados ao empréstimo. Além disso, o banco transfere para o cliente todos os custos da operação, como impostos, seguro e taxa de registro. Portanto, mesmo a uma taxa de juros mais baixa, o custo total efetivo de um credor (CET) pode tornar o empréstimo mais caro do que outro, porque as taxas serão mais altas.

Portanto, ao analisar o custo do empréstimo, não escolha a menor taxa de juros sem antes analisar o CET. Com isso em mente, existe uma resolução do banco central que garante a transparência dos valores de CET na contratação de operações de crédito. Portanto, todos os valores cobrados pelas corretoras são dados no momento da contratação, apenas o consumidor deve saber como interpretá-los.

5) Saiba se você pode pegar um empréstimo pessoal

Os empréstimos pessoais têm suas vantagens: eles não exigem boa segurança, têm aprovação rápida e não exigem muita documentação. No entanto, eles não são tão facilmente liberados para algumas pessoas. Bancos e credores avaliarão sua capacidade creditícia, que é basicamente o rating da Serasa, e quanto maior, maiores serão suas chances de obter um empréstimo. Isso prova o credor se você geralmente é um bom pagador ou se a probabilidade de inadimplência é alta. Eles também precisarão do seu ID, número do seguro social e, geralmente, comprovante de endereço em seu nome, para que saibam onde encontrá-lo, se necessário. Outros fatores necessários são os 18 anos e morar no Brasil. Se você atender a todos esses requisitos, as chances de obter um empréstimo pessoal são grandes, independentemente do motivo pelo qual você o estava procurando: você não precisa especificar a finalidade do empréstimo pessoal.

6) Negativo também pode pedir emprestado, mas com restrições

De acordo com dados do CEP em 2016, quase 40% da população adulta brasileira estava no estado padrão. Conseguir um empréstimo nessas condições pode não ser uma tarefa tão simples. Ficar vermelho mostra à empresa que, em algum momento, você não conseguiu lidar tão bem com suas finanças, o que indica alguma instabilidade. No caso de seu nome ser contaminado, os empréstimos são ainda mais razoáveis, bem como prazos e taxas mais rigorosos.

Uma opção que pode ajudar com empréstimos é obter um empréstimo garantido que dê ao banco mais confiança em você. No entanto, você deve ser cauteloso com esse tipo de empréstimo, pois os bens que você deu como garantia (imóveis ou veículo) podem ser tomados pela instituição em caso de inadimplência.

7) Prove que sua renda geralmente não é necessária

Não é necessário comprovar renda para obter um empréstimo pessoal. Vale ressaltar, no entanto, que se você não provar sua renda, a taxa de juros será maior. Se você trabalha por conta própria, é mais difícil provar sua renda. Em outras palavras, há menos razões para lhe emprestar dinheiro. Uma dica para os trabalhadores independentes que desejam um empréstimo é criar uma conta corrente e concentrar seu dinheiro nela. O extrato dos últimos meses ajuda a provar seu movimento e, portanto, sua renda. Além disso, nesse caso, você também pode usar o reembolso do imposto de renda. Isso significa que, mesmo colhido apenas uma vez por ano, serve durante todo o ano.

Um empréstimo pessoal não precisa ser tão complicado
A contratação de uma operação de crédito não precisa ser um pesadelo. Observando atentamente as opções, o empréstimo se torna uma ferramenta muito útil, se necessário. Esperamos ter ajudado você a fazer sua escolha com nossas dicas e, se quiser saber mais sobre empréstimos, leia nosso guia final de empréstimos, que descreve muito bem o processo.

Lembre-se também de que muitas variáveis ​​podem interferir na seleção do melhor credor. Portanto, nosso simulador de empréstimos pessoais pode ajudá-lo significativamente a escolher o lugar certo. Se você ainda tiver alguma dúvida ou sugestão, deixe-nos comentários!